Eu fui banido pelo Facebook. De novo.

Minha primeira conta no Facebook em foi em 2009. Eu acompanhava um escritor americano e esperava ansiosamente o lançamento do último livro de uma série maravilhosa (Chaves do Reino, pra quem se interessar). Como ele só postava os updates por lá, acabei criando uma conta só para acompanhar.

Nessa época eu estava no segundo ano do colegial e o Orkut era a rede do momento. No ano seguinte, a maioria dos meus amigos começou a migrar para a rede azulzinha e decidi usar a conta de verdade. Também foi nessa época que eu criei meu Twitter, o meu verdadeiro amor (depois do Scriti).

Tudo legal, tudo show. Até que em 2014 minha conta foi banida do nada. Até hoje tenho minhas suspeitas do motivo disso ter acontecido, mas foi aí que me deparei com o péssimo serviço de atendimento do Facebook.

Claro, eu não pago nada pra usar o serviço (apesar deles tirarem uma boa grana empurrando anúncio pra mim), e com certeza eles têm uma fila enorme de tickets para atender, mas tentar entrar em contato com o Facebook é algo frustrante, no mínimo. São vários formulários diferentes, todos dizem que você receberá uma resposta, você nunca recebe essa resposta e, se recebe, é algo genérico e inútil (já vou dar alguns exemplos).

Esperava um pouco mais de uma empresa desse porte e que sabe que a maioria das pessoas guarda a vida na plataforma, desde fotos que provavelmente nunca mais serão recuperadas, até conversas importantes que ficaram por lá. 

Vida que segue. Umas 3 semanas depois eu decidi aplicar a lei do desapego e criei um Facebook novo. Olhando pelo lado positivo, era uma chance de fazer uma limpa e só adicionar quem eu realmente conhecia (todos passamos pela fase de adicionar todo mundo da faculdade), apagar históricos embaraçosos (todos já mandamos declarações de amor sob efeito do álcool), etc.

Abri minha empresa, comecei a desenvolver aplicativos que envolviam o Facebook, lancei meu canal e fazia anúncios pago nos vídeos para divulgar.

Eu apaguei os apps do Facebook e Twitter para dar uma segurada no vício, então usava mais o Messenger para falar com amigos e clientes e postava coisas pessoais como plataforma para divulgar projetos.

Tava tudo certo. 

Até umas 3 semanas atrás.

Que comece a aventura

Depois de gravar, estava voltando pra casa e lembrei de um joguinho mobile besta que eu joguei uma vez. É um RPG que você não joga. Seu personagem age sozinho e você é o Deus dele. Você pode enviar incentivos ou punições, fazer ele tropeçar ou mandar ele fazer coisas. É bem engraçadinho, ainda mais pelo jeito que é tudo escrito e narrado.

Acordei de manhã, acessei o Facebook e fui tomar banho. Voltei, lembrei de novo desse app, baixei e fui logar usando o Facebook. Não ia criar uma conta usando e-mail, não tinha motivo. Tentei fazer o login, deu um erro. Achei estranho, mas acontece. Fiz a conta usando o e-mail mesmo, logo vi que não ia ter saco de jogar e desinstalei. 

5 minutos depois comecei a receber uma porrada de e-mails dizendo que meus aplicativos estavam sendo desabilitados por questão de segurança. Gelei e tentei acessar minha conta. Recebi a linda mensagem que dizia que minha conta tinha sido desativada.


Na hora achei que fosse um problema de trava de segurança. Vai que o app estava mal implementado e o Facebook bloqueou a conta só por precaução. Entrei em contato através do formulário e segui meu dia.

Alguns dias depois, recebi o e-mail que julgo ter sido o e-mail mais inútil da minha vida. E olha que isso é muita coisa. Eis a resposta do Facebook.


Nessa hora eu soltei um alto e sonoro "vai tomar no cu".

Mil coisas passaram na minha mente: "foda-se essa merda", "deixa eu ver se conheço alguém que trabalha lá", "vou criar um novo", "vou ficar sem".

Agora deixa eu explicar algumas coisas: você pode não perceber, mas muita coisa da sua vida gira em torno do Facebook (para maioria das pessoas). Para pra pensar.

Você lembra do aniversário de alguém que não seja sua família próxima? Difícil, né? 
Seus amigos vão marcar uma festa ou algo do tipo? Adivinha onde vão criar esse evento.
Você precisa falar com uma pessoa que você não tem o número. Por onde você fala?

É. Dose.

No fim, decidi nem insistir e criar um novo. Seria outra limpeza. Só que, uma hora depois de criado, apareceu uma tela de "Detectamos uma atividade estranha na sua conta, envie uma foto sua para provar que você é uma pessoa real".

Justo. Enviei a porra da foto.

Em 3h me baniram de novo, mesmo sendo uma foto minha. Não sei nem se uma pessoa visualizou essa merda. Ah não, vai se foder.

Comecei a enviar apelo de novo no suporte deles. Aí que recebi um e-mail um pouco encorajador.


Opaaaaaaaaaaaaa. Então minha conta não estava banida, estava "temporariamente bloqueada". Eu continuei sem entender o motivo de ter sido desativado, mas já era uma resposta diferente.

Respondi perguntando o que eu podia fazer e quanto tempo levaria esse block, só pra me jogarem um outro balde de água fria.


Chega. Desisti dessa conta. Os caras não conseguem nem decidir o motivo de me banirem. Foda-se. Como diria a linda da minha amiga Sam Jovana, são só bytes, não vou ficar me estressando.

Fui criar uma outra conta. Criei um e-mail novo, porque todos os meus já estavam queimados (o da primeira conta, o da segunda e o da terceira, que foi banida em 3h). Cadastrei. Automaticamente caí na tela de "envie foto pra confirmar". 

Puta que pariu, ou meu nome, ou meu IP ou o endereço do meu computador caíram na blacklist do Facebook. 

Enviei a foto. 

Pra ajudar, usei o LastPass pra gerar a senha e não anotei e nem salvou, porque deu essa mensagem escrota. Não tem nem como saber se aprovaram ou não. Provavelmente não vão aprovar.

É, pessoal. Se precisarem falar comigo, me chamem no Twitter ou no Telegram.

Tags

comentários (0)

Sem comentários