Tudo começa no planeta de Alderaan. População: perto de 2 bilhões. Você nasceu em uma família próspera, mas isso não era algo raro: era um planeta relativamente rico, que valorizava a filosofia, as artes e a cultura.

Mas você sempre foi visto como a ovelha negra da sua família. Onde eles eram calmos, você queria ação. Onde eles estudavam filosofia, você estudava coisas um pouco mais... peculiares. Seus colegas, sua família e todas as figuras mais velhas eram pacifistas. Você e seus amigos liam escondidos sobre as grandes batalhas do passado.

Como as Guerras Clônicas tinham acontecido por causa de uma invasão de robôs que queriam dominar a galáxia. Como um exército lutou bravamente pra impedir que isso acontecesse. Como aqueles que deviam ser os guerreiros mais justos da galáxia tentaram assassinar o líder da república, se mostrando os traidores que eram.

--------------------------------------

O tempo passou e você cresceu. Você foi categorizado como rebelde e de temperamento difícil. As brigas com sua família constantemente levavam a gritos com seu pai e sua mãe às lágrimas. Era difícil, ninguém conseguia te entender. Como as pessoas podiam simplesmente ficar em apenas um lugar? Você queria conhecer a galáxia. Você queria levar o esplendor do império para os mais distantes confins. Você procurava algo que não sabia o que era, mas sabia que não era ali que ia encontrar. Ninguém ali conseguia te entender.

Um dia, enquanto você andava tentando esfriar a cabeça - você gostava de caminhar, principalmente depois de uma briga em casa que nem a que acabara de conhecer - você deu de encontro com um grupo de pessoas. Ou melhor, o aglomerado estava desviando de algo e você, perdido em seus pensamentos, não tinha visto.

Era um grupo de soldados. Em um centro de comando ridículo, estavam fazendo uma campanha de recrutamento. Eles realmente não sabiam escolher o público. Você sorriu.

Percebendo sua atenção, um dos líderes, pelo jeito que ele se portava, se aproximou e perguntou se você já tinha atingido sua maioridade. Também perguntou se você não queria conhecer a galáxia. Você sorriu mais ainda.

--------------------------------------

Os anos seguintes foram estranhos. Pela primeira vez na sua vida você sentiu que tinha encontrado o seu lugar. Mas também não se sentia completamente à vontade.

Seu treinamento começou com um grupo de pessoas mais ou menos da sua idade, cada uma de um canto diferente da galáxia. Vocês comiam juntos e dormiam juntos. Foi a primeira vez que encontrou pessoas com objetivos parecidos com os seus. Pelo menos alguns.

Você conheceu um jovem que gostava de naves e queria se tornar um grande engenheiro. Outro gostava de pilotar e queria ser um grande piloto, quem sabe um dia entrando na tropa de elite. Existiam também aquelas figuras desagradáveis, que usavam toda e qualquer chance para crescer e toda e qualquer migalha de autoridade para humilhar e crescer em cima dos outros.

Vocês estudavam juntos. Aprenderam muito sobre muita coisa. Desde a história de fundação do império até a política regional de diversos setores da galáxia. Algumas vezes você discordava do que estava sendo falado, mas era melhor não expressar isso em voz alta. Cada um podia ter sua verdade, mas os seus instrutores não queriam saber. E devia ser assim mesmo, diziam eles. Ia causar problemas na unidade.

Claro, você conversava com seus amigos no calar da noite, em tom baixo para ninguém ouvir. Era muito fácil ganhar uma reprimenda ou um castigo se um ouvido curioso pegasse algo que não deveria ter sido discutido. Isso acontecera mais de uma vez.

Mas esse era seu grupo. Vocês treinavam juntos e viviam juntos. Vocês também fizeram sua primeira missão juntos.

Foi algo simples, apenas o policiamento de uma grande comemoração de aniversário da fundação do império. Você arrumou seu uniforme e lustrou seu equipamento naquele dia.

Você foi o exemplo de soldado. Até recebeu uma palavra de incentivo do seu comandante. Você estava radiante quando foi para a cama naquele dia.

Os anos passaram e as missões mudaram. Você não se lembra exatamente de quando as coisas começaram a mudar, mas você se lembra que percebeu que alguma coisa estava diferente. Você acordara com uma sensação estranha no estômago naquele dia.

Vocês foram enviados para ajudar na investigação de um grupo comercial que era suspeito de contrabandear suprimentos para a Aliança Rebelde. Você ouvia as histórias e ficava com o sangue quente. Uma bomba havia explodido em uma praça, machucando uma série de pessoas e matando duas. Escória rebelde. Foi questão de tempo até receberem uma denúncia anônima.

A batida foi padrão. Vocês entraram, prenderam uma série de pessoas, mas houve conflito.

Com isso você ainda não estava acostumado, mesmo depois desses anos. Um homem sacou uma arma e você atirou de volta. Uma mulher gritou sobre a sua filha. Deviam ter pensado nisso antes de explodirem bombas nas ruas.

Mais meses se passaram e você ouvia muitas histórias. Ataques pequenos e grandes. Alguma coisa estava acontecendo e você conseguia ver algo no olhos dos seus comandantes. Os rebeldes estavam se tornando mais ousados. Ninguém ia fazer nada? O imperador precisava dissolver logo o Senado. Eles precisavam agir. Um exemplo precisava ser dado para evitar novas recorrências. Um pouco de dor agora para evitar mais dor no futuro.

Era aniversário da sua irmã mais nova. Você sempre se dera bem com ela. Você sempre arranjava para que lhe enviassem flores. Você estava falando com ela quando o sinal caiu. Às vezes acontecia isso. O equipamento era precário. O exército estava sendo sucateado, o imperador não ia fazer nada quanto a isso?

Você percebeu que algo estava errado quando ninguém te olhava nos olhos alguns dias depois. O que era esse amontoado de gente? As pessoas não tinham nada melhor pra fazer?

Você então viu a mensagem oficial, assinada pelo próprio imperador. O planeta de Alderaan havia sido destruído por se aliar e servir de abrigo para a aliança rebelde. Um exemplo precisava ser dado. Um pouco de dor agora para evitar mais dor no futuro.

Mas... era um planeta de pacifistas. Dois bilhões de pacifistas. Sua irmã.

Algo cedeu e você estava no chão. Ninguém ia fazer nada?

--------------------------------------

Os meses seguintes foram uma sombra. Você foi repreendido e disciplinado. Você foi punido de forma cada vez mais dura. Você respondia aos seus oficiais. Seus amigos não falavam mais com você. Você havia entrado em discussões com quase todos. Algumas acabando de uma forma bem ruim.

Em uma missão você simplesmente ficou para trás. E deixou tudo que tinha até o momento para trás junto de você.

Meses se passaram. Você ouvia coisas, mas não se importava. Nada oficial, claro, mas rumores discutidos em sussurros. Uma grande nave do império destruída pelos rebeldes. A mesma que destruíra tudo que você conhecera.

Claro que você não podia fazer muita coisa. Mas você fazia o que podia. Você começou a se envolver com pequenos núcleos de resistência. Você não se importava com os discursos acalorados sobre liberdade que eles faziam. Você falava as palavras, mas não se importava de verdade.

Você não sabia o nome dos seus novos companheiros e não fazia questão. Era melhor assim. Se alguém fosse capturado, não poderiam falar o que não sabiam.

Você participou da sua primeira operação em pouco tempo. Você não falara sobre sua vida, mas sua experiência ajudou. Três soldados mortos e nenhum civil ferido. Isso havia sido um sucesso.

Você plantou a sua primeira bomba. Pessoas morreram esse dia, mas é o preço que se paga.

Você caiu na sua primeira emboscada.

Nesse dia, só você e mais um sobreviveram. Aquela noite foi uma sem sono. Você fugiu.

--------------------------------------

Você seguiu rumores que tinha ouvido. Rumores de uma rede que podia te ajudar e te esconder. Uma rede de pessoas que queriam desaparecer.

Demorou meses, mas você encontrou. Você frequentou uma série de rodas de conversa. Todas muito secretas.

Você contou histórias e ouviu histórias.

Você contou o outro lado de histórias e ouviu o outro lado de histórias.

Você ouviu a história de um grupo de planetas que se juntara para se separar do governo da República Galática, governado por um Senado infestado de ineficiência e corrupção.

Você ouviu como um político se destacara e fora eleito para comandar a guerra que se declarara, usando um exército de clones liderados pelos maiores guerreiros da galáxia.

Você ouviu pessoas falando com veneração e outras falando com ódio sobre os Jedi. Se eles eram tão sábios, como eles podem ter caído? Se eles eram tão justos, por que eles se viraram contra a república? Eles eram justos ou apenas fanáticos religiosos?

Eles eram apenas guerreiros cuja história foi crescendo através dos anos ou eram bruxos que podiam controlar o sobrenatural?

Você ouviu como os Jedi foram traídos. Você ouviu uma pessoa dizer que estava lá quando retiraram os corpos de crianças da base deles.

Você ouviu histórias sobre falsos paladinos da justiça caindo e sobre como era necessário um poder central para garantir a estabilidade e o fim da guerra, o fim dos conflitos, a paz.

Você ouviu sobre guerras forjadas no passado. Você ouviu sobre o povo abraçando alguém que pudesse acabar com o caos. Alguém que prometia estabilidade.

Você ouvia e não sabia mais nada.

--------------------------------------

Você conheceu uma pessoa. Você teve um filho. Você vivia com medo.

Você vivia com medo. Você vivia com medo dos seus vizinhos, você vivia com medo de ser reconhecido. Você não falava, você ouvia.

Você ouvia sobre rumores sobre a aliança rebelde derrotada. Você ficava de cabeça baixa e ajudava como podia: ficando calado.

Uma vez você deu um pouco de comida para uma pessoa que obviamente tinha vivido por algo horrível. Você conhecia aquele olhar.

Um dia você encontrou a sua cidade nas ruas. Era o caos. Algumas pessoas choravam de alegria. Outras de terror. Não havia ordem.

Você ouvia rumores de uma grande batalha. O imperador estava morto. O império havia caído.

Havia? Você olhava ao redor e ainda via bastante império. Você ouvia que as coisas melhorariam.

Melhorariam? Para quem? Você ouvia muito e sabia pouco.

O que o futuro guarda?


Tags

comentários (0)

Sem comentários