Eu não sei te dizer quando tudo começou.
Ontem mesmo estava tudo bem.

"Não é normal alguém estar sempre bem". Besteira. Eu estava. Sempre.
Claro que a vida tentava me dar algumas rasteiras. "Boba ela", pensava eu. 
"Boba você", é o que ela me disse essa semana, na maior cara de pau. 

Antes tinha uma só voz na minha mente. Agora são tantas. 

Tento colocar meus pensamentos em ordem. Na verdade está tudo bem, é só um dia ruim. Por mais que nunca me senti assim. Ou na verdade teve aquela outra vez. E se eu tentasse ir mais para a academia? Talvez isso resolva, endorfina e auto-estima. Por mais que hoje choveu muito e eu estou tão cansada. Melhor cozinhar alguma coisa... quem sabe um curso de gastronomia? Eu sou muito ruim nisso, mesmo. Vou lavar a louça então e deixar ele cozinhar. Eu sou melhor nisso mesmo, não tem nenhum problema. 

Nossa, como eu vim parar na cama? Dormi no sofá? Que droga, ainda tinha tanta coisa pra fazer. Corre, corre, corre, você vai se atrasar! Não, não abre o Instagram, não faz bem, não é real! Vou ler um pouco então. Droga, esqueci em casa. O dia já começou todo errado. Pega um café, mas com leite por causa do refluxo. Que diferença faz? Vou comprar um lanche na máquina mesmo. Super industrializado, não é?  

30 e-mails. Hora do almoço. Ah, pode ser o que vocês quiserem, não tem problema. Talvez essa comida não seja tão gorda. Uau, ficou R$35,00? Ferrou, no final não vou guardar dinheiro nenhum esse mês. Um suco de maracujá, por favor, assim quem sabe eu me acalmo um pouco. Mais um cigarro? Caramba eu preciso muito diminuir. 

50 e-mails. Já tá tarde né? Acho que vou embora. Amanhã tenho que fazer mais tudo isso. Melhor escrever, antes que eu esqueça. Não se preocupa, eu passo no mercado e aí vou correndo em casa pegar uma roupa pra amanhã e chego há tempo de ir pra academia. O pessoal vai sair. Quer ir? Nossa como eu não quero, tomara que ele não queira! Caramba, a gente nunca faz nada mesmo, caímos rotina. Como todo mundo aguenta? Foram 80 e-mails no total. Antes eu aguentava. O que aconteceu comigo? Nasci com a bunda grudada nesse sofá? Bola mais um tabaco, por favor? Pega o travesseiro? Esquece, vou ficar por aqui mesmo, depois eu vejo eles. 

Será que ele se incomoda que eu sempre estou de pijama? Ai, não, esqueci o moletom. Posso pegar o seu? Não dorme assim não. Caramba, esqueci de fechar a pasta de novo, que droga! Desculpa, não foi a intenção. Será que ele quer que eu vá pra casa? O que eu vou fazer na minha casa? Ficar sozinha, só eu e todas essas vozes? Não, por favor, me deixa aqui mais um pouquinho. Por que você está com essa louca ainda? Não fala assim, você é uma puta mulher vai. 

Alô, mãe? Como foi seu dia? Hm, ok! E como tá o pai? Engole o choro menina maluca, foi só uma pergunta! Não, não preciso de dinheiro, já tenho tudo o que eu preciso. Por mais que minhas amigas todas compraram aquela bolsa linda. Será que você me empresta? Para com isso, você tem um armário cheio, nem cabe coisa mais. Não gasta, aprende a se controlar. Vou baixar aquele aplicativo. Será que eu paguei a  de gásconta? Eu sei que eu fiquei devendo pra você, prometo que pago na semana que vem. Não pai, não estou precisando de nada. Como você está? Melhorou? Precisa de alguma coisa? Eu posso ajudar, eu sei que posso. Vou ajudar. Por mais que eu não sei o que eu estou fazendo, não vou correr o risco de atrapalhar mais. 

Depois passa pra mim? Não queria assistir isso. Pô, você nunca quer assistir nada. Desculpa. Não dorme aqui não. Vai pra cama. Eu não quero. 

Um dia de cada vez. O mesmo dia todas as vezes. 

Se alguém ver aquela menina por aí, me avisa, por favor. 

Enquanto isso vou levando no piloto automático.

Fica tranquilo, tá tudo bem. Pelo menos você se sabe agora. 


Tags

comentários (0)

Sem comentários