morre um pedaço de cada um de nós;

ao ver que a injustiça nesse país tem cada vez mais vós;

o mérito que tanto se fala

foi levando pela Maré

da mulher forte, que sempre manteve fé.

em suas raízes, em seu povo, que constantemente é tido como ralé

"quantos mais precisarão morrer", brandava,

em lutas ela sempre botava a cara

era taxada,

de "defensora de bandido".

teve peito

se precisasse metia até o dedo na cara do prefeito

em busca dos seus ideais 

de vida melhor e justa

para aqueles que a vida tanto assusta

e reduz á três letras.

a dita é dura

denunciou a intervenção

e foi executada.

caixão fechado

rosto desfigurado

sem direito a ter um adeus digno

execução, feminicidio, racismo

o que mais assusta é o oportunismo

dos engravatados

dos pés de chinelo

tripudiam com a dor

querem aparecer

e refletir a sociedade que cada dia tende a perecer

os tempos são obscuros

me pergunto "qual o próximo passo?"

daqueles que detém o poder.

A gente vê filme de super-herói

e acredita que um dia chega nossa vez de ter alguém

que faça a diferença sem vier a quem.

o problema

é que na nossa história

os heróis morrem

e o grito deles ecoam como BonsSonoros

recados de ódio e repressão.

Tags

comentários (0)

Sem comentários