Oi, você veio aqui? Sério mesmo? 

Não tinha nada melhor pra fazer na internet? Ok, então. Vamos lá começar uma divagação.

Estava pensando porquê começar a escrever, organizando as ideias pra tentar fazer um texto legal, que as pessoas gostassem de ler, se divertissem, emocionassem, levassem uma nova perspectiva para a vida, uma lição sobre os cosmos ou simplesmente tivesse uma boa experiência com meu texto. Mas no final mesmo, eu só quero escrever pra poder tirar algumas coisas da minha cabeça.

Primeiro você precisa entender uma coisa, eu pareço ser um cara legal (juro que tento parecer isso), mas sou louco. MEU CÉREBRO É UMA MALUQUICE TOTAL! Então se quiser continuar lendo que seja por sua conta e risco! É sério!

Comecei a perceber que meu cérebro era maluco logo quando era criança, quando na aula de matemática da prof Sônia, enquanto ela tentava ensinar as operações básicas eu começava a viajar, olhava para os números e entrava com minha mente dentro da lousa. Via o 8 sair do lugar, tomar vida e chamar o 9 para um duelo de espadas, onde cada um pegava um traço do = como espadas e travavam uma luta por suas vidas. Ou quando voltando pra casa me pegava olhando pro farol e imaginando por que as cores eram daquele jeito, se tinha um homenzinho lá dentro mudando as cores manualmente, e como era a rotina desse homenzinho, se ele voltava para sua casa de pequenos humaninhos, se havia um sindicato de homenzinhos mudadores de cores de semáforo ou se o filhozinho dele sonhava em se tornar um homenzinho que mudava as cores.

Isso só piorou ao longo do tempo, minha mente foi aperfeiçoando seu hardware, implementando wifi, processadores novos e funcionando cada vez mais rápido e se aventurando por lugares cada vez mais malucos. Sempre fui aquela criança das respostas rápidas, das piadas fáceis, das desculpas mais mirabolantes possíveis.

Vou tentar explicar como minha cabeça funciona:

Imagine uma sala sem portas, do tamanho do seu quarto (espero que você não seja um milionário que tenha um quarto gigante, pois vai estragar meu exemplo), imagine agora que no centro dessa sala existe um vórtice de energia, que é utilizado por pessoas de diversas dimensões que são exilados de seu planeta por serem malucos demais. Agora imagine que a cada 2h uma nova pessoa entre nessa sala, e por perceber que está sem saída começa a correr desesperada por todos os lados até perceber que aquele é seu novo ambiente e que vai ter que conviver com todos aqueles malucos, e acaba fazendo amizade com os outros malucos.  Esses malucos começam a trocar experiências entre si, e uma história vai se intercalando na outra e criando novas histórias. E novas pessoas vão chegando todo o tempo.

Então, essa sala é meu cérebro. Ele não para, ele não descansa, ele é louco. Tenho pensamentos doentios, ideias brilhantes, criações bizarras, devaneios macabros e tudo isso sempre se renovando, se multiplicando a cada novo estímulo.

Por causa disso tudo resolvi agora começar a escrever. A compartilhar um pouco desse frenesi insano que permeia minha mente. Então se quiser voltar aqui e experimentar um pouco dessa divagação sem sentido, que faça por sua conta e risco. 


Seja bem vindo, e bora embarcar nessa jornada junto. Prometo sempre passar por aqui quando tiver algo interessante pra falar ou quando quiser compartilhar algo. Vou tentar escrever coisas legais, alguns contos, crônicas, criar alguns personagens, histórias legais. Mas isso tudo é muito novo pra mim também, então se quiserem qualidade, não vai ser por aqui.

Dito isso, aqui começa a transposição da minha loucura pro mundo exterior.


Att,

Vinicius Corraini Cordeiro.



Tags

comentários (1)