Vem, a porta está aberta

Não se acanhe, pode entrar!

Vem cá me contar como foi seu dia, o que tem feito

Como posso te ajudar?

Como está a família, os amigos e a frequência na roda de bar?

Como anda o trabalho, os sonhos, a faculdade?

Já colocou as séries em dia? Ouviu aquele CD novo?

Ei, vamos no cinema mais tarde?

Mas antes disso vem me fazer companhia

Isso, chega mais perto, vem cá

Posso pedir um cafuné, um café… Ou talvez um chá?

Faça eu me sentir inteira sem nem precisar me tocar

Me conte o que achou do livro que te dei

Nele há algumas linhas em que até me emocionei

Mas o mais importante não está escrito, fica subentendido

Achou as palavras de amor contido?

Vem cá me contar uma piada sem graça

Me fazer cócegas, entrar comigo na gargalhada

Vem cá me fazer feliz, me fazer bem

Vem ser meu porto seguro como ninguém

Vem cá roubar um abraço, um sorriso, um suspiro, um olhar

Vem cá roubar uma risada, um cheiro, um chamego

Vem deixar seu perfume no ar

Vem cá roubar meu coração, tentar fazer eu me apaixonar

Mas quando se for, não tranque a porta não, tá?

Deixe ela aberta para eu também poder entrar

Naquela outra sala, seu mundo, seu refúgio

Prometo não bagunçar

Mas você também promete não me deixar?

Nós temos uma amizade tão linda e isso não quero estragar

Promete que seremos sempre nós, sem precisarmos nos importar?

Então está bom, só vem cá…


Tags

comentários (0)

Sem comentários