Ele veio sem grande pretensão, com intenção nenhuma de ficar. Era só vir e partir, sem se enroscar, sem complicar. Era pra ser bem simples e fácil. E foi…

Foi tão fácil e descomplicado que em tão pouco tempo me peguei pedindo pra que ficasse, sem que a gente tivesse sequer ficado. Foi tão leve que ele conseguiu me arrancar diversos sorrisos mesmo à distância. Aliás, bem mais à distância, porque éramos nós dois e apenas nós dois em nossa conversa pelo whatsapp, já pessoalmente tinha todo o mundo a nossa volta e a insegurança batia junto com a vergonha, e ficava tudo meio estranho, tudo meio esquisito.

Tô do lado de fora.

Entra aí.

Não, a sala tá cheia, sai aí.

Beleza…

E aí?

E aí? Preciso voltar pra aula.

Beleza.

Beleza.

Então tá.

Tá.

Aos poucos a estranheza foi se transformando em algo que se tornou habitual, mas mesmo assim os dois ainda meio engessados, meio com medo, meio sem saber o que fazer, o que poder demonstrar, o que poder falar.

Eu no meio dos amigos dele sem conhecer ninguém, sem entender quase nada, mas sem querer sair dali. Ele tranquilo, seguindo a zoeira e tentando explicar uma coisa ou outra, e só. E foi assim que talvez os dois tenham começado a perceber algumas coisas um sobre o outro, começado a conhecer as particularidades, os jeitos, as manias.

Eu, por exemplo, percebi que por debaixo de toda a casca de insensibilidade na verdade existia alguém que queria demonstrar alguma coisa sim, mas que talvez quisesse muito mais que alguém demonstrasse algo. Mesmo que o demonstrar para nós às vezes seja meio difícil, meio complicado demais.

Nesse meio tempo a gente foi se libertando, se permitindo, se conhecendo, se aproximando, até se apaixonando. Principalmente se apaixonando. Era tudo tão fácil que por vezes ficou difícil, porque não era possível que fosse tão fácil em tão pouco tempo.

No fim era fácil mesmo. E está sendo…

Mas o que era receio de falar algo que pudesse machucá-lo transformou-se em medo de te perder. E perder o que temos sido um para o outro. Perder o homão da porra que veio para somar comigo e dividir a vida, porque ele veio sem grande pretensão, com intenção nenhuma de ficar. Era só vir e partir, mas não quero mais que se vá…


Tags

comentários (0)

Sem comentários