Mas aí, eu até aceitaria a Facul sem cota, 

Se ao menos seu segurança me deixasse passar da porta!

Se seu apoio ao afrodescendente não fosse hipócrita,

Se acordar amanhã não fosse uma incógnita,

Se no shopping eu não fosse alvo de sua perceseguição,

Se na rua eu não fosse preferido no seu "procedimento padrão",

Calar minha voz, eles tentarão, mas tão ligados que meus versos fazem mais estrago que o Rifle que eles tem na mão!

Meu armamento não é de beretta, minha única arma é a caneta,

caneta que cospe a verdade, mostra minha realidade, joga na cara da sociedade que ser preto é sim uma qualidade!

Descendente de Zumbi, Aprendiz de Mandela, para eles eu tiro o chapéu!

Minha heroína é Dandara,  não princesa Isabel,

Do seu sistema eu posso até ser o réu,

mas vamos ver o estrago que eu faço com meus versos no papel!?

A marca do chicote ainda arde, me chame de tudo, mas nunca me chame de covarde!

foram 500 anos sem parar de arder, você realmente achou que ia atacar e minha gente não ia se defender?

Achou que iamos concordar sem ao menos intender?

Achou que ia mandar e iamos te obedecer?

Aí, Temer! É melhor tremer daí, você não imagina o que meu povo é capaz de fazer!


Tags

comentários (0)

Sem comentários